Universidade Federal da Paraíba (UFPB) - Campus I - João Pessoa – Paraíba – Brasil

Grupos de Trabalho

GT 1 – A Questão Nacional no Pensamento Político Brasileiro
Debatedora: Gabriela Nunes Ferreira (UNIFESP)
Coordenador: Esdras Bezerra Fernandes de Araújo (UFPE)

Ementa: O objetivo deste grupo de trabalho é discutir, sob distintos prismas, políticas públicas de cunho inclusivo, sobretudo no sentido da busca pela realização do projeto republicano enquanto horizonte normativo (compreendido como a realização plena da cidadania, em seus diferentes níveis). Após uma série de crises econômicas (e com vastos efeitos no campo social) durante o final da década de 1990 e o início dos anos 2000, verifica-se em boa parte dos países latino-americanos a retomada do debate pelo protagonismo estatal, seja enquanto ente dinamizador do processo produtivo, seja enquanto produtor de bem estar por intermédio de políticas públicas. Pari passu a esta retomada, também se verifica a implementação de um robusto cabedal de políticas públicas objetivando a redução das assimetrias produzidas pelo processo de acumulação. Seja a partir do debate sobre a teoria democrática, do debate em torno do desenvolvimento, ou a partir do próprio campo de análise de políticas públicas, o objetivo é discutir projetos e iniciativas dentro desse diapasão.


GT 2 – Intelectuais, Paradigmas e Escolas no Pensamento Político Brasileiro
Debatedora: Vera Alves Cepêda (UFSCar)
Coordenadora: Anna Kristyna Araújo da Silva Barbosa (UFPE)

Ementa: Neste grupo de trabalho será discutida, de maneira ampla, a temática sobre as interpretações, a partir das orientações teórico-metodológicas, do Pensamento Político e Social Brasileiro, bem como as temáticas relacionadas à Teoria Política Clássica e/ou Contemporânea. A partir da perspectiva do Pensamento Político e Social, este grupo de trabalho se preocupará em destacar, no plano teórico e das ideias, as diferentes correntes intelectuais e perspectivas analíticas existentes que, dentre os vários temas e problemas de estudo possíveis, buscaram compreender a especificidade das instituições políticas e dos processos sociais brasileiros, em especial quanto à circulação, recepção e ressignificação de ideias entre diferentes intelectuais e/ou distintos contextos históricos e institucionais, em que se sobressaíram, dentre outras, questões sobre a democracia, o desenvolvimento, a especificidade do capitalismo tardo-periférico e a natureza da cultura política que se formou no país. Quanto à perspectiva da Teoria Política, este grupo de trabalho pretende discutir as principais abordagens teóricas clássicas e contemporâneas, brasileiras e internacionais, em particular aquelas que se debruçam sobre questões conceituais e analíticas sobre a democracia, a participação política, a cultura política e sobre processos políticos e sociais contemporâneos.


GT 3 – Instituições, Participação e Representação no Pensamento Político Brasileiro
Debatedora: Maria Fernanda Lombardi Fernandes (UNIFESP)
Coordenador: David Soares Simões (UNIVASF)

Ementa: O desenvolvimento das instituições políticas no Brasil obedece a uma trajetória que acompanha as disputas e contradições históricas do processo de democratização do país. Desde a constituição do primeiro modelo parlamentar-representativo do Império até as reivindicações contemporâneas por novas formas de representação, a institucionalização das demandas políticas no Brasil é marcada pela complexa relação entre incorporação e tutela. Refletir sobre elas exige a compreensão, portanto, da função que o Estado exerce nos diversos contextos de expansão da cidadania e o papel que ocupam a sociedade civil, os partidos e as demais formas de organização e expressão de demandas políticas nestes mesmos momentos. O presente GT compreende não apenas a discussão sobre as formulações teóricas, o desenvolvimento e as disputas em torno das instituições políticas, mas também as diversas dimensões de organização da sociedade civil, dos partidos, dos movimentos sociais, das demandas por cidadania e por novas formas de representação democrática na história do país.


GT 4 – Ideologias Políticas no Brasil
Debatedora: Angélica Lovato (UNESP/Marília)
Coordenador: Maria Stella Martins Silva D’Agostini (UFPB)

Ementa: O objetivo deste GT é receber trabalhos cujo foco de análise permeie algum aspecto das ideologias políticas que atravessam a história política brasileira – liberalismo, socialismo, conservadorismo e suas variantes: marxismo, anarquismo, fascismo, populismo, etc.. Isso incluiu ainda posturas político-partidárias nos diversos momentos da história nacional, desde o significado do conservadorismo e do liberalismo no Brasil Império, até às recomposições de esquerda e direita contemporaneamente. É fato que o termo “ideologia” gera polêmica, porém o intuito é o de suplantar essas querelas em prol da reflexão sobre como determinadas orientações políticas se desenvolvem no Brasil – em elaborações mais ou menos originais, e tentativas de adaptação de ideias estrangeiras – através de estudos de obras políticas, discursos, debates jornalísticos, trajetórias biográficas, constituição de partidos, etc.


GT 5 – Pensamento Internacional Brasileiro
Debatedor: Marcos Ferreira da Costa Lima (UFPE)
Coordenadora: Mariana Davi (UEPB)

Ementa: Enquanto parte do pensamento político, o pensamento internacional brasileiro é produto das mais variadas visões de mundo portadas por acadêmicos, juristas, economistas, profissionais liberais, diplomatas, entre outros profissionais engajados em pensar o lugar e o papel do Brasil no mundo. Este pensamento encontra-se traduzido à linguagem através de uma miríade de fontes, sejam elas de agentes estatais, sejam de representantes da sociedade civil. Sob a forma de anais parlamentares, atas executivas, relatórios diplomáticos, discursos, livro, artigos acadêmicos ou jornalísticos, etc., o interessado em compreender as reflexões acerca das relações internacionais pátrias terá ao seu dispor um vasto patrimônio imaterial de pesquisa.

Assim como os estudos do Pensamento Político Brasileiro se debruçaram ao longo das últimas décadas quase que exclusivamente sobre temas de política doméstica, aqueles identificados com a Política Externa Brasileira tenderam a minimizar a politização do discurso político internacional. Daí a necessária superação metodológica do que nos parece ser uma tendência disjuntiva entre a análise de política externa brasileira, de um lado, e a compreensão do pensamento político brasileiro, do outro. Para dizer de outra forma, este GT convida a todos os interessados nos debates acerca da política externa brasileira à proposição de trabalhos que objetivem (re)pensar a construção do imaginário político brasileiro, seus personagens e suas relações internacionais.


GT 6 – Teoria e Método para o Estudo da História das Ideias Políticas
Debatedor: Jorge Gomes de Souza Chaloub (UFJF)
Coordenador: Elton Bruno de Oliveira (UFSC)

Ementa: As discussões teóricas e metodológicas têm duas funções essenciais em uma pesquisa acadêmica: por um lado elas estruturam e organizam a aproximação do pesquisador com relação ao objeto e, por outro, elas permitem a ampliação do olhar para novas perspectivas e novas dimensões de um mesmo objeto de estudo. Na última década houve uma ampliação considerável de novas discussões teórico-metodológicas no Brasil – vindas especialmente da história das ideias –, aplicadas ao estudo da teoria política e do pensamento político brasileiro. A recuperação dos contextos, os problemas de recepção e interpretação da produção intelectual internacional em contexto periférico, a reflexão sobre a temporalidade e a discussão sobre os conceitos centrais que formam as linguagens políticas vêm associar-se a temas já conhecidos como a interpretação das linhagens e tradições, o estudo das ideologias políticas e a sociologia dos intelectuais, compondo assim um amplo e expandido campo de possibilidades para o estudo do pensamento político brasileiro. O grupo de trabalho “Teorias e Métodos para o estudo das ideias políticas” tem como objetivo reunir pesquisadores interessados em refletir sobre estes aspectos da pesquisa acadêmica, ressaltando a importância dos temas que dão sentido e organizam a pesquisa e o campo de estudos.